Share on FacebookGoogle+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

O Subterrâneo do Morro do Castelo

de Lima Barreto

O Subterrâneo do Morro do Castelo, de Lima Barreto era um texto inédito e disperso em reportagens do Correio da Manhã, até ser encontrado, organizado e publicado pela primeira pela Dantes, em 1997. Chegou a sua segunda edição pela Dantes Editora em formato de bolso. Foi o numero 1 da coleção criada para reeditar preciosidades perdidas em prateleiras, manuscritos e gavetas: A Coleção Babel.
Entre abril e junho de 1905, o Correio da Manhã publicou uma série de reportagens sobre as escavações que a Prefeitura do Rio de Janeiro realizava no Morro do Castelo. O autor era Lima Barreto, ainda repórter do jornal que posteriormente iria satirizar com a publicação do romance Recordações de escrivão Isaías Caminha em 1919.
A lenda de que embaixo do Morro do Castelo havia um tesouro, escondido pelos jesuítas, renasceu com a descoberta de uma galeria de túneis subterrâneos durante as obras de modernização do prefeito Pereira Passos.
Lima Barreto, fingindo encontrar um manuscrito do século XVIII que explicava os mistérios das galerias, inseriu no fato jornalístico uma ficção que começou a ser publicada em forma de folhetim no jornal. Foi assim que apareceu D.Garça ou O que se passou em meados do século XVIII, nos subterrâneos dos padres da Companhia de Jesus, na cidade de S. Sebastião do Rio de Janeiro, a mui heróica, por ocasião da primeira invasão dos franceses a mando de Clerc.

Introdução de Beatriz Resende
Estabelecimento de texto de Rachel Valença

o subterraneo do morro do castelo1

o subterraneo do morro do castelo2