Share on FacebookGoogle+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

Una Shubu Hiwea – Livro Escola Viva do povo Huni Kuin do rio Jordão é o projeto dos pajés Huni Kuin de transmissão e fortalecimento de sua cultura. Seu coordenador é o pajé Dua Buse que vive na aldeia Coração da Floresta, próxima a fronteira com o Peru. É um projeto que envolve as 3 mil pessoas das 36 aldeias nos rios Jordão e Tarauacá e se estendeu ao conhecimento de todo povo das outras terras indígenas Huni Kuin do Acre, buscando alcançar aproximadamente 13 mil pessoas.
Os Huni Kuin, gente verdadeira, como se autodenominam, eram mais conhecidos como Kaxinawá, povo morcego, forma pela qual outros povos os chamavam e que adotaram como própria por longo período até alcançarem a paz necessária para reativarem sua cultura tradicional.
A história Huni Kuin pode ser dividida em cinco tempos: o das malocas, em que viviam nus antes do contato com os brancos, o tempo da correria, sobrepujados pelas armas de fogo e dominação do território quando foram reduzidos a pouco mais de 300 pessoas, o tempo do cativeiro, reféns dos seringalistas que implementaram o sistema escravagista dos barracões, sob o qual nasceram todos Huni Kuin hoje mais velhos. O tempo dos direitos, a partir da década de setenta, contou com as formulações dos antropólogos Terri de Aquino e Marcelo Piedrafita na constituição das cooperativas e na delimitação dos territórios. Hoje vivem o Xina Bena, novo tempo, que alia a transmissão das tradições entre velhos e jovens a intercâmbios com o mundo do século XXI.
Desde 2011, a Dantes colabora com a realização desse projeto cultural tão original e relevante no meio da Amazônia acreana, que incialmente chamava-se Una Hiwea – Livro Vivo. Um projeto aberto pelo pajé Agostinho Ika Muru, que mesmo após sua morte em 2011, norteia caminhos de cura e proteção.

Há mais de vinte anos trabalhamos em projetos ligadas a memória, pesquisas, processos colaborativos  e, especialmente desde 2009, ao conhecimento da natureza. Projetos sobre naturalistas nascidos em terra brasileira do século XVIII, jardins sinuosos do século XIX e o paisagismo de Burle Marx trilharam o caminho que me conduziram em 2011 às aldeias Huni Kuin pela primeira vez à convite do Jardim Botânico do Rio Janeiro.
Trabalhar com 36 aldeias ao longo de um rio na Amazônia acreana requer esforço e organização. Nossa parceria com os Huni Kuin tem colhido frutos como oficinas, o livro Una Isi Kayawa – Livro da Cura (Dantes e Jardim Botânico, 2014), exposições, assembleias, festas de lançamento, construção de um kupixawa no Parque Lage (Rio de Janeiro) e todo projeto Una Shubu Hiwea 2017 co-realizado com o Itaú Cultural que contou com publicação de livro, filme de Camilla Coutinho, construção de uma escola na aldeia do pajé Dua Buse e uma linda exposição no Itaú Cultural em SP.

EQUIPE: 
Organizador: pajé Dua Buse – Manuel Vandique Kaxinawá
Representantes: Ademar Domingos Rodrigues Shane Huni (aldeia Altamira), Edinaldo Macário Maná (aldeia Novo Natal), Eliberto Sena Tene (aldeia Coração da Floresta), Fernando Barbosa Siã (aldeia Três Fazendas), Francisco Célio Keã (aldeia Bom Jesus), Francisco Chagas Yube (aldeia Pão Sagrado), Francisco Chagas Maia Nixiwaka (aldeia Nova Cachoeira), Francisco de Assis Buretami Dua Busê (aldeia Verde Floresta), Francisco Arnaldo Macário Keã (aldeia Nova Aliança), Francisco Sabino Buretama Macari (aldeia Sacado), Francisco Sena Kaxinawá Isamema (aldeia Flor da Floresta), Gilberto Marcelino Keã (aldeia Nova Mina), Gilmar Sereno Sales Txana Kupi (aldeia Canafista), Ibã Sales (aldeia Xico Curumin), Irã Pinheiro Sales Yawa Bane (aldeia Altamira), José Domingos Itsairu (aldeia Belomonte), José Mateus Itsairu (aldeia São Joaquim atual aldeia Mae Bena), José Melo Macário Bane (aldeia Mae Bena), José Paulino Sales Txana Ika Kuru (aldeia Boa Vista), Josenildo Sales Siã (aldeia Bom Futuro), Lauro Sales Yasã (aldeia Bari), Lusivaldo Alfredo Melo Maná (aldeia Paz do Senhor), Manuel Dua Busê (aldeia Novo Segredo), Manuel Vandique Kaxinawá Dua Buse (aldeia Coração da Floresta), com Aldo Sena da Silva Shaemetü, Antonio Maia Kaxinawá Shaemetü, José Maia Kaxinawá Yube, Maná Dua BakeMardilson Sales (aldeia Nova Fortealeza), Miguel Sales Siã (aldeia Xico Curumin), Norberto Sales Tenë (aldeia Flor da Mata) com Antonio Kaxinawá Txana Makari, Bari Bai, Célio B. da Silva KaxinawaIbã Huni Kuin Dua Bake, Isailson, José Antônio Domingos, Lex Forker Uri, Mana, Paetani Huni Kuï, Txana Masheini Maria Aparecida Sales, Txana Runy, Yawarika Huni Kuï e Zerzulino Makario, Osmar Keã (aldeia Altamira) Raimundo Abdias Kupi (aldeia Canafista), Ronaldo Damião Keã (aldeia Morada Nova) Sávio Barbosa Txana Kisti (aldeia Três Fazendas), Tiago Sales Ibã (aldeia Novo Natal) Toni Sales Txanu (aldeia Bela Vista)
Coordenação:  Anna Dantes
Tradutores do Hatxa Kuin:José Mateus Itsairu, Isaka Oswaldo Mateus, Ibã Sales, Tadeu Mateus Huni Kui Sia Txana Hui Bai
Fotografia: Camilla Coutinho
EXPOSIÇÃO 
Direção Criativa Anna Dantes e Ernesto Neto
Montagem da exposição: Menegildo Paulino KaxinawáJosé Mateus ItsairuRita Pinheiro Sales KaxinawáEdilene Pinheiro Sales KaxinawáJociclei Pinheiro Sales
Assistente de Design Gabriel Takashi e João Manuel Tui
Produção Ana Carolina Trebisch
Fotografia e vídeo Camilla Coutinho Silva
Paisagem Sonora e Áudios Yan Saldanha
Una Isi Kayawa – Livro da Cura – co-realização  Jardim Botânico do Rio de Janeiro
Una Shubu Hiwea – Livro Escola Viva – co-realização Itaú Cultural